Juro, não é porque é de amiga, jabá ou propaganda gratuita. Falo do que gosto e não do que espero gostar. Pedimos uma paella no www.donapaella.com.br e não nos arrependemos.

Vale muito à pena experimentar. Eu pedi a tradicional, mas tem opção até com frango. Genial.

Anúncios

Ying-yang popular.

28/05/2010

O que é “banda larga” e “banda curta”?

Toda conexão de internet tem um limite de dados que pode trafegar por ela. Pensemos em um cano d’água; se mantivermos a força de inserção da água constante, existe um limite de volume d’água que passa por um cano, pra aumentar este limite você precisa ou de um cano maior ou de uma bomba que aumente a pressão d’água. Mas é bom lembrar que se a pressão for muito alta, o cano pode rachar, por isso existem medidas definidas de pressão para cada cano.

 

Na sua conexão de internet acontece o mesmo; existe um limite de dados que pode trafegar do servidor até a sua casa, e este limite é definido pela largura da sua banda. Bandas mais largas suportam maior volume de informações, portanto possibilitam que se tenha uma navegação mais rápida. Exemplos de banda larga são as redes ADSL (via linha telefônica), via cabo e via rádio (sem fio) que podem chegar a trafegar até 10Mbits (100Kbps) por segundo. Exemplos de banda curta são modems ligados em linha telefônica comum, que só conseguem trafegar 56Kb por segundo.

 

Como a velocidade de conexão influencia a minha vida e a vida do meu cliente?

 

O exemplo mais prático do quando a sua velocidade pode influenciar a sua experiência na web é quando estamos assistindo a um vídeo no youtube ou vimeo. Bandas mais largas têm a capacidade de transmitir dados em uma velocidade alta o bastante para que o video seja reproduzido instantaneamente e carregado completamente antes do término da sua exibição. O que quer dizer que; quanto mais dados conseguimos receber, maior o volume de conteúdo que poderemos usufruir no momento.

 

A banda larga dá a possibilidade de vermos filmes com maior qualidade, baixarmos sites com ferramentas mais pesadas e por consequëncia, obtermos uma melhor experiência online. Em alguns cantos do mundo, a velocidade de conexão é tão grande que podemos pensar em substituir nosso sinal de TV por um sinal de internet, assistindo nossos programas preferidos dentro do ABC.com, Comedycentral, etc.

 

Veja o futuro da sua TV no vídeo abaixo:

 

 

Conheça também

Google TV

 

 

Veja também:
Tópico 01 – Lidando com a verdade
Tópico 02 – Elementos da navegação online
Tópico 03 – Como eu me conecto?
Connecting_the_World_Online.jpg

Conexão de internet.

De onde vêm todas os textos, vídeos e imagens que vejo no meu browser?

Tudo que se vê no browser está armazenado dentro de um HD igualzinho ao do seu computador. A única diferença é que ele não está na sua frente, mas em um lugar chamado “data-center”, que como diz o nome, é um centro de dados. Este lugar está longe de você mas as funções que o computador de lá executa são iguais às realizadas pelo seu computador de casa, só mais seguras. 🙂

Data-centers são prédios com controle de temperatura, de presença e às vezes até com sistemas de segurança estilo Missão Impossível como analisadores de retina e detectores de temperatura corporal. Toda essa estrutura é pra eliminar o risco de roubos ou assaltos por vias físicas, ou seja, alguém entrando e roubando dados como no filme. Já por vias lógicas, o data-center elimina os riscos de invasão utilizando-se de programas chamados firewalls, que bloqueiam o acesso ao servidor por qualquer entrada que não seja a que lê o site que é exibido na sua tela. Claro que nunca se está preparado 100% contra invasões, mas a segurança dos dados dentro destas estruturas é maior do que a maioria imagina ser.

Quando você digita um endereço no seu browser, uma requisição é enviada pra um centro de distribuição de URL, que entende o caminho e envia uma requisição para o servidor no qual estão hospedados os arquivos daquele site e mostra o seu conteúdo pra você.

O que é uma URL?

Pra entender o que é uma URL, precisamos antes entender como acontece o processo de registro de domínio na internet. Imagine que você vai fazer uma promoção para o seu cliente e ele precisa de um hotsite com o nome da promoção.

A primeira coisa a fazer é definir que URL você deseja usar e aprovar com o seu cliente, aqui vamos utilizar como exemplo www.promocaolegal.com.br. De posse desta informação, é preciso acessar o centro de registros de domínios da FAPESP, que é o órgão do governo que coordena este assunto, www.registro.br.

Dentro deste site, você pode consultar a disponibilidade deste domínio (ninguém pode estar já utilizando) e comprar o seu direito de uso obedecendo as diretrizes do site. Experimente uma consulta aqui.

Tendo o domínio comprado, precisamos de um servidor aonde deverá ser hospedado o site. Quando você aluga um servidor, este tem um IP de rede que o identifica na internet; por exemplo 200.203.0.156. Se você digitar o IP de um servidor no campo URL do browser, você será direcionado para o site que está dentro dele.

Tendo já comprado o servidor, precisamos direcionar o DNS (domain name server) para ele dentro do site registro.br. Terminado este processo, o site está no ar e funcionando.

Aí você se pergunta, porque eu, atendimento, devo saber disso?
Bom, clientes têm dúvidas como "Aonde eu compro meu domínio?", "porque devo pagar um servidor?" etc.. Pra falar a verdade, existem algumas mais cabeludas com as quais você vai se deparar no processo de construção de um site ou campanha pra qualquer cliente. É bom estar preparado.

Veja também:
Tópico 01 – Lidando com a verdade
Tópico 02 – Como eu me conecto

imagem encontrada em http://flatclassroom09-3.flatclassroomproject.org/Connecting+the+World+Online

Trabalho de um grande amigo. Quero saber quem vai fazer o primeiro brinquedo.