Gosto quando vejo artistas gerando propósitos práticos no seu material.
No caso deste comercial, arte digital de controle de luzes dá sentido e beleza a uma comunicação muito simples; “olha o que poderia acontecer com o seu dinheiro se você investisse em uma carteira de ações”.

Além da presença da arte, a comunicação baseia-se em um princípio que acredito muito; a verdade.
Acho uma referência extremamente válida. Espero que gostem.

Veja mais no post original em Infostethics

 

Como eu me conecto? Que ferramentas utilizo online?

Para acessar sites, utilizamos um browser. A palavra browser vem do verbo em inglês “to browse”  que significa “folhear”. Portanto, o browser é um “folheador” de websites. 

 

O browser mais conhecido é o Internet Explorer (porque vem com o seu windows) mas existem muitos outros pra você escolher; Firefox, Opera, Safari, Chrome. É interessante conhecer cada um e diferenciar suas capacidades para escolher com precisão o que melhor se adequa a suas necessidades online.

 

O browser é simplesmente um leitor de uma linguagem chamada HTML (HiperText Markup Language). Esta linguagem tem a capacidade de montar páginas de web editando-se alguns comandos. Por exemplo: se eu tiver um código como:

 

<p>Eu estou aprendendo <i>muito</i> com este <b>blog</b>

 

O meu browser vai ler:

 

Eu estou aprendendo muito com este blog

 

A partir desta linguagem, os profissionais de internet conseguem fazer seu trabalho. Utilizando de ferramentas variadas, o HTML acabou tornando-se uma base para muitas possibilidades, que vamos estudar mais adiante.

 

O HTML como qualquer linguagem, evoluiu e está na sua versão 5. Esta versão é particularmente interessante porque começa a introduzir novas funcionalidades bem legais. Veja um exemplo do que se pode fazer com HTML5 acessando http://www.the389.com/

 

 

Veja também o tópico 01 – lidando com a Verdade

 

Links legais:

Tutorial em HTML.net

CSS na Wikipedia

HTML5 na Wikipedia

DHTML na Wikipedia

XHTML na Wikipedia

 

 

Próximo capítulo:

Conexões e comunicação online

Obrigado por ler.

Sinto que o open-house está se aproximando.


See and download the full gallery on posterous

Vou começar uma série de textos que têm como objetivo ajudar aos atendimentos que desejam aprender sobre este mundo obscuro da internet. 
Sinceramente, já tenho essa vontade a algum tempo e tenho escrito bastante.

Esta série será desenvolvida no intuito de ajudar profissionais de agências de publicidade a se atualizarem e quebrarem a barreira do “online” e “offline” com conhecimento.

A dificuldade em entender este meio e interagir com os profissionais da área vem criando uma barreira de negócios que passa por toda a estrutura da agência e acaba por marginalizar o setor de online criando uma vala de conhecimento que deve ser sanada em breve.

Com a necessidade cada vez maior das agências tradicionais de se encaixarem na tendência de comunicação mundial, o ambiente online torna-se algo a ser alcançado, e o pensamento online algo a ser almejado.

Proponho derrubar esta barreira e integrar de uma vez por todas o profissional de atendimento e todos os outros que desejarem entender mais sobre o assunto neste novo modelo de negócio; mais dinâmico, mais complexo e mais real em seus números.

Espero que gostem.

Segue o primeiro tópico:

Lidando com a verdade

A maior barreira entre a mídia tradicional e a comunicação online está na verdade. O consumidor de jornais e revistas não apresenta um real risco para a mídia e sabendo-se a tiragem, podemos dizer claramente quantas pessoas foram provavelmente impactadas por estes tipos de veículo.

O cliente aceita e paga por isso. Esta é a verdade da mídia tradicional.

Quando lidamos com um universo online, estamos literalmente lidando com gente, e gente tem opinião e quer mudar as coisas das quais não concordam, e online eles podem.

O consumidor passa a ser parte integrante da estratégia. Não adianta entender aonde ele está, mas quem ele é online, qual o seu comportamento de navegação e como reagiria a uma interface. Qual o tipo de botão a ser utilizado? Qual é a rede social mais frequente, quais marcas se relacionam a outras. E mais importante, é preciso adaptar-se de acordo com as estatísticas da campanha, em tempo real.

 
Uma das grandes barreiras que o mundo online enfrenta hoje em dia é justamente a insegurança gerada por esta mudança. Imagine uma marca tradicional, com anos de história, que sempre se baseou na sua comunicação para formar sua personalidade. Hoje esta marca deve desenvolver um modelo que instiga a conversa. Consumidores vão opinar sobre ela e suas opiniões deverão ser levadas em conta.
 
Um case referência agora é o do Focus. Um trabalho que quebra esta barreira e leva o consumidor a desenvolver um relacionamento sincero e duradouro com a marca. parabéns pra JWT que trabalhou o cliente da maneira correta e parabéns à Ford, que fez acontecer algo que todos nós queremos, agregou valor real à opinião dos seus consumidores.
 
Que venham mais

ver tópico 02 (Como eu me conecto)
 
Links legais:
Focus Comments
BRIC & Brasil

Mandei um email pra um amigo e gostei do conteúdo. Resolvi publicar aqui.

Este é um resumo do que acho mais simples a se fazer pra começar uma presença na web.

"Em primeiro lugar você precisa que definir o que a sua empresa é como identidade; trend, descolado, tecnologico, híbrido, etc..
Essa definição vai te dar o "tom" de comunicação pras redes.
É importante manter o tom em todas as comunicações.

Imagine que o estúdio se tornou uma pessoa, quem seria esta pessoa? Como ela falaria, se comunicaria? Que tipo de tendência de moda ela gosta (isso define visual)? Quais são os interesses dela na rede e quem seriam os amigos que ela gostaria de ter?

Estas são perguntas básicas pra você começar  a pensar na sua imagem.

Definido isso, você precisa achar um jornalista que crie seu conteúdo e um dir. de arte que defina a sua cara. O dir de arte vai fazer a skin do posterous (gosto mais que do tumblr), do twitter, facebook, etc. E o jornalista postaria suas novidades baseado no perfil que você fornecer a ele.

Aí é só manter uma frequencia de atualização constante. Não adianta portar 4 posts em um dia e passar uma semana sem postar. Melhor é mandar um por dia do que 6 a cada sexta-feira. Constância é a chave pra fazer as pessoas assinarem seu RSS ou seguirem seu conteúdo.

Uma puuuuta ferramenta é o posterous, que é publicável via e-mail e já atualiza automaticamente o facebook e twitter, eliminando a necessidade de acessar cada um por vês.

No mais é isso, faça o jornalista criar conteúdo e manter a periodicidade e esteja atendo aos replies no twitter e comentários no blog e facebook. Sempre responda um comentário mesmo que seja com um "obrigado".

Boa sorte na sua web."